14 de set de 2010

Adoração Eucarística



 
 Esquema de Adoração Eucarística


Esquema de Adoração Eucarística

“Aos pés de Jesus com a Bem-aventurada Camila Batista Varani”

Canto de exposição
“Pasme o homem inteiro, estremeça todo o mundo e exulte o céu quando, sobre o altar, na mão do sacerdote, está Cristo, Filho do Deus vivo. Ó admirável alteza e estupenda condescendência! Ó humildade sublime! Ó sublimidade humilde, pois o Senhor do Universo, Deus e Filho de Deus, de tal maneira se humilha que, por nossa salvação, se esconde sob uma pequena forma de pão!”
Comentarista: O grito solene e apaixonado de Francisco de Assis nos imerge no estupor reconhecido e adorador,que o dom da Eucaristia suscita no coração, e nos introduz neste momento de oração, no qual desejamos ficar em frente a presença real do Senhor Jesus. Acompanha-nos a Bem-aventurada Camila Batista Varani: nos seus escritos cálidos e vibrantes, podemos encontrar um testemunho precioso de fé cristã e de vida contemplativa. A nossa oração será guiada por suas palavras, numa viagem que nos conduzirá ao coração da vida clariana: o cotidiano e incessante estar aos pés de Jesus Cristo pobre e crucificado, em uma vida com perfume de evangelho e mostra ao mundo que só Deus basta e que somente Ele preenche a vida de sentido e alegria.
“Então, com a cabeça inclinada até o chão, supliquei graça à divina Majestade, que me colocasse perpetuamente, sem interrupção, aos clementíssimos pés de seu Filho Crucificado... Vi o entranhado amor sem medida que Deus dá às criaturas. Quando voltei a mim, não podia parar de repetir": Ó loucura! Ó loucura! Nenhum vocábulo me parecia mais verdadeiro e conveniente a tanto amor. Ó pés crucificados, ó única esperança da minha alma, como é possível viver sem vós, que éreis a vida, o coração, o tesouro da minha alma? Ó pés traspassados, pelos quais me agradava ver todos os pés, tocar, abraçar e beijar. Ó pés dulcíssimos! Ó pés piedosos ! Ó pés clementíssimos!”

Comentarista: Nestas palavras plenas de paixão e ímpeto ressoa não somente a experiência mística, mas também a escolha fundamental de Camila Batista Varani, e a imagem mais eloquente da vida contemplativa clariana: humilde e amante existência, vivida aos pés do Crucificado, para contemplar o amor imenso de Deus no dom supremo daquele que, origem de todo dom, doa a si mesmo no corpo dado e no sangue derramado. A Bem-aventurada Camila Batista não desejou outra coisa a não ser conhecer, saborear e compartilhar este dom imenso que lhe encheu o coração de estupor e gratidão. A mesma experiência deseja o nosso coração: manifestemos a sede inextinguível que o habita, o grito e o desejo que saem das suas profundezas, aos quis somente o amor e a Palavra de Jesus podem responder.

Mostra-te a mim, Senhor benigno! / Somente Tu és a minha vida, minha esperança, / todo o amor co meu coração e da minha alma!
1. Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! / Desde a aurora ansioso vos busco! /A minh’alma tem sede de vós, † minha carne também vos deseja, /como terra sedenta e sem água!
2.Venho, assim, contemplar-vos no templo, / para ver vossa glória e poder. / Vosso amor vale mais do que a vida: / e por isso meus lábios vos louvam.
3. Quero, pois, vos louvar pela vida, / e elevar para vós minhas mãos! / A minh’alma será saciada, /como em grande banquete de festa; / cantará a alegria em meus lábios, / ao cantar para vós meu louvor!
4. Penso em vós no meu leito, de noite, / nas vigílias suspiro por vós! /- Para mim fostes sempre um socorro;
de vossas asas à sombra eu exulto! / Minha alma se agarra em vós; / com poder vossa mão me sustenta.

Silêncio

Evangelho segundo Lucas (Lc 10,38-42)
Naquele tempo: 38Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. 39Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava a sua palavra. 40Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: “Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha, com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!” 41O Senhor, porém, lhe respondeu: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. 42Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada.”

Silêncio. Canto.
Aos pés de Jesus para escutar sua Palavra

Comentarista: O trecho evangélico escutado nos revela a figura de Maria de Betânia e a sua escuta apaixonada da Palavra: o seu permanecer fiel aos pés de Jesus se realizou plenamente na vida e na experiência da Bem-aventurada Camila Batista. Escutemos um trecho da Autobiografia, no qual emerge a característica fundamental do relacionamento da Bem-aventurada com a Palavra de Deus: o envolvimento total de sua pessoa com o evangelho. Diante da Palavra de Deus, o desejo de Camila Batista é o de uma partilha total, de entrar no evangelho, isto é, de identificar-se com os personagens do texto, pedindo ao Senhor que a faça sentir e viver aquilo que eles viveram. Nas palavras de Camila Batista ressoa o eco da oração de Francisco no Alverne: “Ó Senhor meu Jesus Cristo, duas graças te peço que eu me faças antes de eu morrer: a primeira, que em vida eu sinta na minha alma e no meu corpo, quanto for possível, a dor que tu, doce Jesus, suportaste na hora da tua acerbíssima paixão. A segunda é que eu sinta no meu coração, quanto for possível, aquele amor sem medidas de que tu, Filho de Deus, estavas incendiado para suportar, por querer, tamanha paixão por nós pecadores”. Camila Batista nos ensina a estar aos pés de Jesus para escutar dele, cada dia, uma palavra que modela e transforma o coração; envia-nos a sentir o evangelho como realidade viva que nos toca e nos atinge, como uma história sempre atual, na qual se é envolvido apaixonadamente. Eis a autêntica escuta: trata-se de sentir no coração, de participar com a totalidade de si mesmos, de compartilhar através de uma vida conforme o evangelho.

Da Autobiografia da Bem-aventurada Camila Batista Varani
Este pacientíssimo e sapientíssimo Deus, vendo a dureza e a obstinação de meu coração, deliberou de amolecê-lo por outro caminho. Na vigília da anunciação Frei Francisco falou do amor divino que inflamou o coração da Virgem no momento do anúncio. Falava com tanta força e fervor que parecia um serafim; afirmou que havia mais doçura em uma centelha daquele amor que a Virgem sentiu do que em todos os amores do mundo. Após aquela pregação, ajoelhei-me diante do altar e fiz voto à Virgem Maria de conservar imaculados todos os meus sentimentos, a fim de que Deus não dispusesse de mim de outro modo.
E este pacto: que Deus me desse a graça de sentir em mim ao menos uma centelha daquele amor que Maria havia sentido naquele dia.  Em tal oração perseverava dia e noite com muito fervor e desejo.

Silêncio. Canto.


Aos pés de Jesus para compartilhar sua Paixão

Comentarista: Camila Batista Varani vive o seu estar aos pés de Jesus, contemplando o mistério que foi o centro de sua existência: a Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo. É aos pés da cruz que a Bem-aventurada viveu toda a sua vida, com a mesma força e fidelidade de Maria e das mulheres das quais falam os evangelhos entre as quais prefere, como referência e modelo, a figura de Madalena. A ela dedica o trecho que escutaremos a seguir: a Bem-aventurada nos oferece em Maria Madalena o modelo do amor imenso que compartilha a dor do amado crucificado e abandonado, do Amor não amado. Camila Batista nos indica a contínua meditação da Paixão de Jesus como condutor à descoberta da plenitude do amor e se espelha em Maria Madalena, a discípula que, mais do que qualquer outro, ensina a comunhão total do amor e da dor, o perder-se no coração daquele que sobre a cruz nos amou sem medidas e se doou pela nossa salvação.

Das “Dores Mentais” da Bem-aventurada Camila Batista Varani
(Leitura intercala por refrões tirados de cantos)
A minha perfeição, Mestre amante, e a dileção e a bondade dela, discípula amada. Talvez, quem amasse alguém e fosse correspondido pudesse entender alguma coisa, se tivesse a experiência de um amor santo e espiritual. Mas um amor assim perfeito não existe sobre a terra porque não se encontrará mais um tal Mestre e mesmo uma tal discípula. Excetuada minha santíssima Mãe, não existe pessoa que mais sofreu pela minha Paixão e morte, como Maria Madalena. Se minha Santíssima Mãe lá estivesse, depois de minha Ressurreição, apareceria a ela, antes de Madalena. Como Madalena foi a mais aflita depois de minha bendita Mãe, assim, depois de minha dolorosíssima Mãe foi ela a mais consolada. Embora João sofresse mais do que todos os outros discípulos, não penses que a sua dor superasse aquela da enamorada Madalena. De fato,Vendo-me morto, parecia a ela que faltasse o céu e a terra, porque somente eu era sua esperança, a sua paz e toda a sua consolação. Ela, ‘sem ordem nem medida’ me amava, por isso ‘sem ordem nem medida’ foi a sua dor, que eu conheci plenamente e senti em meu ânimo, pois dela recebi toda a ternura que pode vir de um amor santo e espiritual; ela me amava perdidamente. Os meus discípulos, ainda não desprendidos das coisas terrenas, retornaram às suas redes, mas esta santa pecadora não retornou ao mundo, mas totalmente inflamada e flamejante de santo desejo, não podendo mais ver-me vivo, ansiosamente me procurava morto. Nenhuma criatura poderia, então, amar e gozar, a não ser o seu Mestre, vivo ou morto. Assim cada alma, quando me ama intensamente, não se aquieta e nem repousa com nenhuma outra presença, mas somente em mim, seu Deus amado. Tão grande foi a dor desta minha discípula dileta, que muitas vezes teria morrido se não a sustentasse com minha Força e Graça. A sua dor imensa repercutia agudamente no meu apaixonado coração e intensificava minhas penas. Não permiti, porém, que lhe fosse aliviada tanta dor, porque queria fazer dela aquilo que realmente ela foi: a apóstola dos Apóstolos. Foi ela, com efeito, que anunciou a verdade de minha gloriosa Redenção aos Apóstolos, como estes o fizeram, depois, a todo mundo. Queria fazer dela, como de fato a fiz, modelo, espelho e norma de vida contemplativa vivida na solidão e no segredo.

Silêncio. Canto.


Aos pés de Jesus para propagar seu perfume

Comentarista: O corpo dado e o sangue derramado de Jesus são a expressão suprema do amor de um Deus solidário a condição humana até a morte, mas são também o modelo da resposta humana ao amor. A cruz ensina a responder ao amor vivendo segundo a lógica do dom, segundo a lógica do amor que vence a morte. O estar aos pés da cruz, então, não é gesto resignado e passivo, mas é participação a fecundidade do amor, testemunha da vida que brota da morte. Viver aos pés de Jesus se torna o modo de difundir o anúncio evangélico, se identifica com o desejo de responder ao amor de Deus através de um quebrar-se e doar-se cotidiano, que encontra em Jesus Crucificado o seu modelo e a sua força. Estar aos pés de Jesus significa agora para Camila Batista assumir o ímpeto e a generosa gratidão de Maria de Betânia: o evangelista João nos conta que “tomou trezentas gramas de perfume de nardo puro, muito precioso, e ungiu os pés de Jesus, depois os enxugou com seus cabelos, e toda a casa se encheu com o aroma do perfume”. A vida de Camila Batista, como cada vida contemplativa, preenche a história com o perfume de uma existência derramada aos pés de Jesus, perdida na contemplação de seu mistério e no fazer-se voz de cada criatura: toda vida autenticamente cristã propaga no mundo o perfume de uma existência conquistada pelo amor de Jesus e assinalada pelo ímpeto da gratidão. Exprimem com um gesto o nosso desejo de ser, com a nossa vida, um perfume do amor de Jesus: durante o canto, cada um de nós se aproximará do altar e oferecerá um grãozinho de incenso, sinal da nossa oração que sobe a Deus, sinal da oferta da totalidade de nós mesmos a aquele que nos amou e deu a si mesmo por nós. O gesto é introduzido por um texto da Bem-aventurada Camila Batista e seguido por um espaço de silencio no qual cada um pode exprimir uma intenção de oração. Então soltei os freios do amor que com grande fadiga por anos havia detido. Deixei-o andar impetuosa e furiosamente; derramei-o to do sobre o meu dulcíssimo Esposo: Jesus Cristo bendito. Assim o chamava porque assim se mostrava à minha alma; às vezes em forma de bondoso Pai, às vezes com tanta familiaridade e intimidade que parecia um caríssimo amigo e companheiro, mas na maioria das vezes em forma de dulcíssimo Esposo. Quando Deus se comunica à alma em forma de Esposo, eu creio, por aquela pouca experiência que tive, que isto seja o mais doce e suave gosto que Deus possa comunicar nesta vida mortal.
Canto que acompanha o gesto da oferta do incenso. Orações espontâneas.

Comentarista: Coloquemos todos os desejos e as invocações do coração nas mãos do Pai das misericórdias, confiando-nos a Ele através da oração que o Senhor Jesus nos ensinou: Pai nosso...

Oração (dos Escritos da Bem-aventurada Camila Batista)
Deus benigníssimo, sapientíssimo e clementíssimo, verdade amável, que não julga segundo o aspecto externo, mas segundo o coração, olhando com teu olhar santo e amável a afeição interior, nós te glorificamos, humilhando-nos com o coração arrependido sob os teus clementíssimos pés crucificados, aos quais sejam dadas por nós e por todas as outras tuas vilíssimas criaturas a honra, louvor e glória agora e para sempre nos séculos dos séculos. Amém.

Súplica a Bem-aventurada Camila Batista Varani

Celebrante: Agora voltaremos a Deus nosso Pai a nossa oração para que escute a voz de seus filhos e filhas, por intercessão da Bem-aventurada Camila Batista Varani, e acolha com benevolência todos os bons desejos e as intenções de orações que trazemos no coração. E respondamos após cada invocação: Senhor tende piedade de nós.
1. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher reconciliada consigo mesma, mulher que transformou seus sentimentos nos de Jesus Cristo, ensina-nos a fazer morrer o homem velho e fazer viver o homem novo no Espírito. Confiamos a ti toda a Igreja para que, na fidelidade ao evangelho, seja guia e sustento para todos os seus filhos e filhas.
2. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher pequena segundo a lógica do evangelho, ensina-nos a esperar do Senhor a salvação, a viver da sua Palavra, a alimentar-nos do Pão da Vida. Confiamos a ti a Ordem Franciscana e Clariana e a nossa Diocese para que possa preparar-se com alegria para a canonização e extrair deste momento de graça a coragem de uma fé adulta e madura.
3. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher da alegria, que soube traduzir em canto e louvor o teu relacionamento com o Senhor, ensina-nos a alegrar-nos com tudo aquilo que, cada dia, o Pai das misericórdias nos doa. Confiamos a ti cada homem e mulher, pra que saibam descobrir sempre o gosto da vida nos acontecimentos da própria história.
4. Bem-aventurada Camila Batista, mulher faminta e sedenta da vontade do Pai, pesquisadora incansável do rosto de Deus, testemunha ardente e apaixonada da beleza de Jesus, ensina-nos a sermos fiéis e responsáveis no relacionamento de aliança com o Filho de Deus feito carne. Confiamos a ti todos os consagrados, consagradas e os sacerdotes, para que sejam sinais autênticos da presença do Senhor.
5. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher de paz, que soube ser instrumento de reconciliação, colocando somente em deus tua confiança, ensina-nos a sermos construtores de paz. Confiamos a ti todos os governantes das nações para que saibam consumir-se para o bem de todos.
6. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher pobre porque toda vazia de si mesma para ser preenchida somente por Deus, pobre de coisas para possuir somente Jesus, sumo bem, ensina-nos a viver só com o essencial. Confiamos a ti os pobres do mundo para que, com tua intercessão, possam encontrar solidariedade e partilha.
7. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher marcada pela dor e provação, mas continuamente consolada pela misericórdia de Deus, ensina-nos a participar das inevitáveis fadigas da vida com a tua obediência a vontade do Pai. Confiamos a ti os doentes e sofredores para que encontrem repouso somente em Deus.
8. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher de coração puro e apaixonado que soube viver na retidão e lealdade para com Deus e os irmãos e irmãs, ensina-nos a viver na realidade daquilo que somos. Confiamos a ti as famílias para que vivam a união na acolhida e transparência recíproca.
9. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher misericordiosa porque amada pelo Senhor, ensina-nos a sermos gratuitos para com cada irmão e irmã e capazes de dar e receber o perdão. Confiamos a ti os jovens para que aprenda a viver na gratuidade e no amor de Deus.
10. Bem-aventurada Camila Batista Varani, mulher mansa, que soube entregar-se a Deus com confiança e humilde abandono, ensina-nos a confiar sempre na ajuda do Senhor. Confiamos a ti aqueles que não podem ou não sabem se defender, de modo especial as crianças, os mais explorados e indefesos: seja o Senhor o escudo deles.
11. Camila Batista, ensina-nos o caminho da bem-aventurança de Maria para que, como ela, possamos conservar no coração a Palavra, gerá-la nos irmãos e irmãs e chegar ao conhecimento de Deus. Confiamos a ti cada um de nós, com os nossos desejos e preocupações para que nos obtenha a graça que te pedimos... (todos rezam em silêncio).
Celebrante: Ao fim desta vigília, nos dirigimos ao Pai com a oração que o Senhor Jesus nos ensinou: Pai nosso...
 Benção. Reposição e canto final.


Tradução: Irmã Maria Renata, Mosteiro Nazaré, Lages

Nenhum comentário:

Postar um comentário