14 de set de 2010

Subsídios para Celebrações




17 de outubro de 2010
A Ordem Franciscana e Clariana
e a Igreja de Camerino, São Severino das Marcas,
estão em festa pela canonização de

Camila BatistaVarani de Camerino
Monja Professa da Ordem de Santa Clara
(1458-1524)

Subsídios para Paróquias e Conventos

Introdução ao subsídio

Domingo, 17 de outubro de 2010, o Santo Padre Bento XVI proclamará Santa Camila Batista Varani de Camerino, com o título simples e ao mesmo tempo solene de “Monja professa da Ordem de Santa Clara”. Deste modo chega ao fim ao fim o caminho singular que percorreu a comunidade das Irmãs Clarissas de Camerino, a Ordem Franciscana e a nossa Igreja diocesana. Com a canonização, a figura de um bem aventurado, ou bem aventurada em nosso caso, é lançada em uma dimensão mais vasta, pois é proposta à Igreja universal, difundida sobre toda a terra. Não podemos deixar de estar emocionados pelo fato de que isto aconteça para uma filha de nossa terra, da nossa Camila BatistaVarani de Urbino, onde entrou no Mosteiro; de Loreto, onde foi em peregrinação antes de consagrar-se, para entregar seu caminho a Virgem Lauretana, de Atri, para onde se retirou no doloroso tempo do exílio; de Fermo onde fundou, a pedido do Papa, uma comunidade de Irmãs Pobres. Vincula-nos, enfim, a diocese de Filadelfia, pois nesta terra distante aconteceram muitos milagres a ela atribuídos, tanto que um altar foi erigido na catedral da cidade, em honra de Camila Batista. Portanto, em todas as missas do dia 17 de outubro, é oportuno recordar o significado deste acontecimento, a sua importância, a sua singularidade, o seu significado de graças para toda a Igreja.
Este é o objetivo do presente subsídio. Quer ajudar as paróquias, as comunidades religiosas e as associações a viverem o dia da canonização em comunhão com todos os peregrinos que, em Roma, participam a solene cerimônia na Praça São Pedro. É justo nos alegrarmos juntos pelos dons que Deus continua a infundir sobre a Igreja e, em particular, sobre nossa Igreja diocesana, com tanta abundância. Viver em comunhão a alegria de uma Santa, protetora especial da Igreja que a gerou, será um modo de retomar o entusiasmo que sempre nos deve caracterizar; para esperar no Senhor que sempre, também hoje, chama a segui-lo no caminho do amor, do dom de si. Santa Camila Batista é uma testemunha exemplar de vocação para todos os nossos jovens, de fidelidade para todas as nossas famílias, de radicalidade para todos os sacerdotes e os consagrados.  Valorizar este tempo de preparação à canonização e a celebração de 17 de outubro é um modo para renovar o nosso pedido ao Senhor para que, por intercessão da Santa, nos conceda abundância de corações prontos a dedicar-se ao ministério ordenado e a consagração por amor a Deus e a serviço dos irmãos e irmãs.
Este subsídio é dividido em cinco partes:
1- Uma breve biografia da Santa;
2- Indicações e sugestões para a animação das celebrações litúrgicas até dia 17 de outubro de 2010;
3- Esquema de adoração eucarística com a Santa;
4- Rosário com os textos da Santa;
5- Indicações e sugestões para a animação da celebração eucarística do dia 17 de outubro para quem não participa da peregrinação.

1- Breve perfil biográfico

Camila nasce em Camerino no dia 9 de abril de 1458. Seu pai, Júlio César Varani, foi duque de Camerino. Típico senhor renascentista, combateu por vários Papas e em diversas cidades italianas, e por meio de uma política de casamentos, estava relacionado às principais dinastias reinantes. Júlio César casou com Giovana Malatesta e teve três filhos com ela, e ao menos seis filhos naturais de diversas outras mulheres. Este comportamento, nas famílias senhoris da época, eram considerados normais, ou ao menos eram aceitos sem escândalo. Camila é filha natural da nobre senhora Cecchina de Mestre Giacomo, mas é introduzida e educada no esplendor da corte. Os palácios senhoris, no período do renascimento, eram cenários de política, mas também de cultura e de mecenato. A jovem Camila estuda latim, lê os clássicos, aprende a pintar, a tocar instrumentos e a dançar. Cresce vivaz e exuberante, imersa no burburinho da vida da corte. Tem um temperamento franco e voluntarioso, até se pode dizer independente e teimoso, amante do belo e do prazer. Nos projetos de seu pai, Camila é destinada a um matrimônio de nobre conveniência, como todas as suas irmãs. Ao invés, sua vida toma uma direção imprevista. Quando tem cerca de dez anos, o seu caminho toma uma orientação particular quando faz o propósito de “derramar ao menos uma lagrimazinha” a cada sexta-feira, em memória da paixão do Senhor. Isto a conduzirá a escolha definitiva — combatida até o fim — e a responder o seu sim à chamada à vida religiosa. De fato, em 1481, superadas as dificuldades colocadas pelo pai, comparado ao “faraó do Egito”, entra no Mosteiro de Santa Clara de Urbino, um dos lugares mais representativos do movimento da observância. A vontade de viver a Regra de Santa Clara em toda a sua radicalidade evangélica é elemento constitutivo do seu chamado.  No dia 4 de janeiro de 1484, feita a sua profissão religiosa com o nome de Irmã Camila Batista, junto a oito irmãs de Urbino, ingressa no novo mosteiro de Camerino, mandado construir por seu pai. Em 1501 uma tragédia se abate sobre sua família. O Papa Bórgia, Alexandre VI, excomunga Júlio César Varani, por razões econômicas, privando-o de todos os seus direitos de feudo e senhoria. César Bórgia combate contra Camerino para unir seu território ao patrimônio da Igreja. Júlio César Varani foi primeiro aprisionado e depois foi estrangulado na fortaleza de Pérgola. Depois, em Catolica, foram mortos cruelmente os três irmãos de Irmã Camila Batista. Havia se colocado a salvo em Veneza somente o irmão menor, João Maria. Também para Irmã Camila Batista chega a hora do exílio. A sua presença no mosteiro colocaria em risco a vida das outras irmãs. Ela se encaminha assim para Fermo. Mas os senhores da cidade temem as represálias de Valentino e não a recebem. Andando “como peregrina e forasteira” dirige-se a Atri. Em 1503 Irmã Camila Batista retorna a Camerino, onde sua família é quase exterminada. O irmão sobrevivente, João Maria, é reintegrado pelo Papa Júlio II como chefe de estado de Camerino. Em 1505 Papa Júlio II a envia para fundar um Mosteiro de Clarissas em Fermo, e nos anos 1521-1522, vai a São Saverino das Marcas, para formar as Clarissas locais, que naquele período assumiram a Regra de Santa Clara. Morre no dia 31 de maio de 1524, durante uma epidemia de peste.
Etapas do processo de canonização:
1. Gregório XVI, no dia 7 de abril de 1843, assina o decreto de beatificação;
2. Pio IX, em 11 de maio de 1857, venerou os restos mortais de Camila e concedeu a indulgência plenária no dia da festa, 2 de junho;
3. Bento XVI, em 19 de fevereiro de 2010, no Consistório Público, assina o decreto de coloca a Bem-aventurada Camila Batista no livro dos Santos, estabelecendo a data da canonização para 17 de outubro de 2010.

2- Sugestões para a animação das Celebrações Eucarísticas até 17 de outubro

a) Intenções para inserir à escolha (uma ou mais) no esquema da oração dos fiéis, adaptando segundo a oportunidade.
1.Pela nossa Igreja diocesana, para que possa viver este tempo de preparação à canonização da Bem-aventurada Camila Batista Varani, nutrindo um profundo senso de gratidão ao pai pelo dom da santidade que se renova entre os filhos desta terra, rezemos:
2.Pelos jovens, que experimentam a inquietude e a procura do próprio lugar na vida, para que, a exemplo da Bem-aventurada Camila Batista Varani, saibam escutar atentamente a Palavra de Deus e a mediação dos educadores para realizar o projeto que o Senhor pensou para cada um deles, rezemos:
3.Por aqueles que se sentem chamados a uma particular vocação sacerdotal ou religiosa, para que a preparação à canonização da Bem-aventurada Camila Batista Varani seja um tempo fecundo de discernimento, e a sua intercessão possa acompanhá-los a uma resposta pronta, alegre e generosa, para o bem do Reino, rezemos:
4.Para as famílias de nossa diocese, para que, neste tempo de preparação à Bem-aventurada Camila Batista Varani, possam descobrir, aprofundar e amar a herança espiritual da nova Santa e, a seu exemplo, colocar no centro da vida familiar a Palavra de Deus, o perdão e a fidelidade tenaz, rezemos:
5. Pelos doentes e sofredores de nossa comunidade diocesana, para que se sintam sustentados pela oração da Bem-aventurada Camila Batista Varani, já próxima da canonização e, como ela, vivam seus sofrimentos na confortante consciência de serem participantes da Paixão do Senhor Jesus, rezemos:
6. Por nós aqui presentes, que vivemos a alegria da canonização da Bem-aventurada Camila Batista Varani, para que saibamos reconhecer neste acontecimento um grande dom para o crescimento da nossa vida cristã, preparando-nos para acolhê-lo com intensa oração e renovando em nosso coração um ardente desejo de santidade, rezemos:

b) Oração a Bem-aventurada Camila Batista Varani. Após o silêncio de ação de graças, depois da comunhão, a assembleia pode ser convidada a recitar a Oração da Bem-aventurada.

Trindade Santa e Bem-aventurada,
Vós concedestes a Camila Batista
viver como verdadeira filha do Pai,
aderir ao Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo
e deixar-se plasmar pelo fogo do Espírito Santo.
Dai-nos a graça de imitar seu exemplo
e fazer também da minha vida
um reflexo de vossa Beleza e Santidade.
Amém.
Benção final por intercessão da Bem-aventurada Camila Batista Varani.


3. Celebração Eucarística – 17 de outubro de 2010 



Comentário inicial
Irmãos e irmãs, neste vigésimo nono domingo do tempo comum, nossa Igreja é chamada a celebrar a Eucaristia com uma alegria toda especial. Cada Eucaristia é uma “ação de graças” ao Senhor pelo dom de sua Palavra e do seu corpo e sangue dados por nós. Nutrindo-nos destes dons somos chamados sempre a entrar na comunhão com Ele, alcançando sua santidade. “Sede santos porque eu sou santo”. É esta a vocação a qual o próprio Deus chamou o seu povo no caminho do êxodo e é o convite desde então, atravessando os séculos, chega até nós, aqui e agora, para nos interpelar. Hoje o faz de um modo particular, pois o papa Bento XVI, na Praça São Pedro, proclama Santa para toda a Igreja católica uma irmã nossa, Camila Batista Varani de Camerino. A história é pontilhada de homens e mulheres santos que, erguendo as mãos em direção ao Pai, intercederam por aqueles que enfrentam a cada dia boa batalha da fé. Peçamos também nós ao Pai misericordioso que nos ensine a rezar sem cansar nunca, e de nos tornarmos, como Camila Batista, verdadeiros pobres que esperam dele todo o bem.

Oração da assembleia
Pr: No Evangelho, o Senhor nos exorta a rezar sempre sem cessar, na confiança que, do céu, onde Ele está sentado a direita do seu e nosso Pai, escuta a oração que elevamos a Ele com fé. Hoje, pedindo a intercessão de Santa Camila Varani, elevamos os nossos pedidos a Deus Pai, dizendo após cada prece: Senhor, atendei a nossa prece!
1. Pela nossa Igreja diocesana, para que, alcançando a radicalidade evangélica de Santa Camila Batista, anuncie com alegria o nome do Senhor e testemunhe que tudo é perda diante da beleza de Jesus, rezemos:
2. Pelos governantes, de modo especial pelos prefeitos de nossa diocese, para que, como Santa Camila Batista, saibam fazer escolhas sábias, não levadas por interesses pessoais, e trabalhar pela tutela dos bens e da dignidade de cada ser humano, rezemos:
3. Por toda a Família Franciscana, para que vivendo o frescor da intuição de Francisco e Clara, como Santa Camila Batista, sejam apaixonados imitadores de Jesus e fiéis servidores de Deus e dos seres humanos de nosso tempo, rezemos:
4. Por todas as famílias, para que, alcançando de Santa Camila Batista a coragem do perdão, se tornem sempre mais igrejas domésticas, escolas de amor e tenaz fidelidade, rezemos:
5. Pelos jovens, para que não caiam na ilusão das falsas promessas que oferece o nosso mundo mas deixando-se seduzir por Jesus, caminhem, corram, voem no caminho de Deus, rezemos:
6. Por todos os que passam pela dor, doença, solidão, para que sintam-se sustentados pela intercessão de Santa Camila Batista, conformem-se a Jesus para experimentar a força de sua graça e de sua ressurreição, rezemos:
7. Por todos os nossos queridos que o Pai já chamou para si, para que por intercessão de Santa Camila Batista, sejam acolhidos lá onde Jesus resplende glorioso, na espera do glorioso dia no qual todos estaremos juntos na glória, sentados a mesa do reino, rezemos:
6. Por cada um de nós, para que, colocando-nos na escola de Santa Camila Batista, valorizemos sua experiência de fé para chegar a experimentar a plenitude de vida que só Jesus sabe dar, rezemos:
Pr: Pai, invocamos vosso nome no meio do povo que vos é querido; não olheis os nossos pecados, mas a caridade do vosso Filho, e dai-nos, juntamente com Ele, todo o bem. Por Cristo, nosso Senhor.


Ação de graças após a comunhão
Ao fim do silêncio após a comunhão, a assembleia é convidada a exprimir o seu louvor e a sua gratidão, recitando juntos a oração da Santa.
Oração a Santa Camila Batista
Trindade Santa e Bem-aventurada, Vós concedestes a Camila Batista viver como verdadeira filha do Pai, aderir ao Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo e deixar-se plasmar pelo fogo do Espírito Santo. Dai-nos a graça de imitar seu exemplo e fazer também da minha vida um reflexo de vossa Beleza e Santidade. Amém.
Benção final “por intercessão de Santa Camila Batista”.
Recomenda-se a menção da Santa no cânone da Oração Eucarística.


29º Domingo do Tempo Comum

Primeira leitura: Ex 17,8-13 Salmo Responsorial: Sl 120 Segunda leitura: 2Tm 3,14-4,2
Evangelho: Lc 18,1-8

Subsídios para a homilia
1. A palavra que escutamos é bem adequada à experiência espiritual de Camila Batista que hoje é proclamada Santa pelo Papa bento XVI. A imagem de Moisés que reza no monte, intercedendo junto a Deus pela salvação de seu povo oferece um válida referência a vocação desta Santa que fez da própria existência uma oferta de amor e oração por toda a humanidade. Esta é a vocação à vida contemplativa: os braços sempre erguidos em direção a Deus por toda criatura.
2. A segunda leitura nos ajuda a esclarecer um outro aspecto da vida de nossa Santa. Da própria experiência de vida evangélica, esta mulher é capaz de tirar o tesouro escondido, o fruto maduro das revelações, da Palavra meditada e contemplada com fidelidade e paixão. A discípula do “maravilhoso Mestre”se torna uma mestra convicta, que sabe intervir na vida espiritual de seus contemporâneos com a coragem da profecia, falando a eles nas “ocasiões oportunas e inoportunas”, sem medo algum, pelo amor da verdade que é o próprio Jesus.
3. A insistência da oração da viúva do Evangelho de hoje pode sugerir uma referência aos escritos de Santa Camila Batista que, voltando-se a um seu discípulo espiritual, o exorta à oração insistente.

Dos escritos “Instruções ao Discípulo” de Santa Camila Batista Varani
1. Mantem a mente fixa em Deus, o quanto te for concedido pela graça divina e por tua fragilidade. Esta é a coisa mais útil e necessária que pode fazer o homem, servo do Onipotente. Pensar em Deus santifica a mente, aquece o coração, ilumina o intelecto, freia as paixões, afasta dos pecados veniais, estirpa os vícios e prepara para a oração.  Muitos vão à oração todos os dias, mas durante a jornada lembram-se pouco de Deus. Sentem-se, depois, indevotos, áridos, indispostos, cheios de distrações e dizem: “Eu não acho graça na oração!” Mas não é assim. Não endereçaram as suas mentes para Deus, coisa que prepara o acento para a oração mental. Aqueles que seguidamente pensam em Deus logo atingem o fim desejado: preparam o lugar para Deus. Recebem a graça das devotas lágrimas, da compunção, do gosto espiritual, da devoção. Porque o pensar seguidamente em Deus força a divina Bondade a recordar-se de nós, estejas certo que, quanto mais seguidamente te recordares de Deus, tanto mais Ele pensará em ti. Tua mãe chegou a manter a mente fixa em Deus por dois meios. Primeiro: repetindo frequentemente, ao menos no pensamento, alguns versículos do Salmista, como por exemplo: “Desvia o olhar de meus pecados” (Sl 50,10). Estas Santas palavras, repetia-as com a mente, tão seguidamente que adquiriu tal hábito de proferir-lhes até sem pensar. Começou tal prática quando estava ainda no mundo; e tão seguidamente repetia este versículo, que salmodiava até dormindo. Segundo: um fato ajudou tua mãe a manter fixa a mente em Deus, isto é, uma grande tribulação que afligiu-a por cinco anos. Era, então, constrangida a chamar por Deus a fim de que a ajudasse. De dia e de noite, gritava a Ele: “Ó Deus, vem salvar-me. Senhor, vem logo em meu auxílio” (Sl 69,1); “Ergo os meus olhos para os montes, de onde virá o meu socorro? O meu socorro vem do Senhor” (cf. Sl 120,1-2). Assim, naquele período tão perigosamente tempestuoso, adquiriu o santo hábito de não distanciar a mente de Deus, e também em tempo de paz, fielmente o conservou. Semelhantemente faze também tu, filho enamorado de Jesus... São muitos os que procuram a pureza de coração por um caminho longo e cansativo: jejuando, ficando sem dormir, flagelando-se, dormindo no chão e afligindo de outras maneiras os seus corpos. Tudo para obter a pureza de coração, na qual consiste a santidade consumada. Mas esta tua mãe, considera verdade certíssima que pensar seguidamente em Deus faz conquistar este dom melhor, mais rápido e com menos cansaço. Seria tolo quem, podendo ir para Roma em um dia por um caminho curto, plano e muito fácil, escolhesse empenhar quatro dias e ir por uma estrada áspera e difícil. Toma, meu filho, toma este caminho curto, doce, suave, seguro e escondido que te guia ao Paraíso sem que outros o notem. Abraça-te a Cristo e estejas seguro de enriquecer-te sem que outros vejam...  Concluo. Quem pensa seguidamente em Deus, “Deus permanece nele” (1Jo 4,15). Para quem O tem em si com a graça, nada falta... Escolhe Deus, pensa em Deus! Os pensamentos de teu coração, volta-os sempre para Ele (Cf. Sl 118).
2. Eu quero que tu, alma devota, sejas amiga da Santa oração. Por esta porta aquela religiosa entrou no conhecimento de Deus e de si mesma. A oração a introduziu na amizade e na familiaridade do grande onipotente Deus. Aquela alma fundamentou a sua oração sobre a Paixão de Jesus. Quero que tu também faças o mesmo, para poder dizer com ela: “Todos os bens me vieram com ela (a Paixão)”(Sb 7,11). Outra coisa não te digo desta Santa oração, porque já te falei muito. Faze-a, faze-a. Tu me compreendes. Quando não puderes ceifar, colhas à força. Quando não podes rezar com a mente, reza com a boca. Isto te baste (Dt 3,26).
3. Caminha, corre, voa na via de Deus. Os virtuosos caminham, os sábios correm, os enamorados voam. Se podes correr, não caminhe. Se podes voar, não corras, porque o tempo é breve.

Tradução: Irmã Maria Renata, Mosteiro Nazaré, Lages
















Nenhum comentário:

Postar um comentário