15 de set de 2010

Reforma Camerinense

REFORMA CAMERINENSE da Ordem de Santa Clara (1484-1524)

Santa Camila Varani

A figura de Camila Varani (1458-1524), filha do príncipe de Camerino Júlio César Varani, com sua personalidade forte e idealista, está  ligada intimamente a esta reforma, que abrangeu inicialmente três mosteiros: Camerino, Urbino e Fermo. Camila ingressou em 1481 no Mosteiro Santa Clara de Urbino, de Clarissas Urbanistas. O contato com os Frades Menores da Observância, já  mantido em Camila antes de seu ingresso no Mosteiro, levaram-na a desejar de todo o coração abraçar a Regra de Santa Clara, com o ideal primitivo de pobreza, silêncio e oração. Quando, em 1484, seu pai quer fazê-la retornar a Camerino, ao Mosteiro construído para ela, consegue realizar seu anseio. Parte com oito companheiras para a fundação de Camerino, onde por várias vezes ser  abadessa, instruindo fielmente as Irmãs no ideal abraçado. Mais tarde, também o Mosteiro de Urbino, de onde saíra, passar  a viver a Regra de Santa Clara, por influência direta do testemunho de Camila e de suas companheiras. Em 1505, funda o Mosteiro de Clarissas na cidade de Fermo. A obra reformadora de Camila alcança também grande influência noutros Mosteiros, pela difusão do corajoso empenho por ela empreendido e pela fama de sua santidade e intensa vida mística. Embora seja colocada por alguns autores como fazendo parte do grande movimento de reforma franciscana dos Observantes, assume por si própria características e traços bastantes particulares. Camila amava imensamente a fundadora da Ordem e nela se espelhou. Tendo sido várias vezes Abadessa em Camerino, berço da reforma, organizou a vivência de tal maneira que se aproximasse o mais possível da vida primitiva das damianitas no Mosteiro de Assis. Pobreza rigorosa, simplicidade, oração, sororidade e trabalho. Camila foi uma mulher de um cárter inquebrantável. Nas duras vicissitudes pelas quais passou, seja relacionadas aos dramáticos acontecimentos que envolveram sua família em 1501, seja através de crises interiores, solidificou uma têmpera invencível, dando à reforma a solidez de uma fortaleza construída na rocha dos desígnios divinos. Sendo filha de uma época tremendamente conturbada, a nível social e eclesial, d  testemunho de fiel fidelidade à Igreja. As fundações feitas por ela tem o apoio da Sé Apostólica e de Frades Menores da Observância, como o Beato Domênico de Leonissa e Frei Francisco de Urbino.
BIBLIOGRAFIA
OMAECHEVARRIA. Ignacio, - Las Clarisas a través de los Siglos. Editorial Cisneros. Madrid 1972, p 126.
PIETRO, Luzzi - Camilla Battista da Varano - Uma spiritualità fra Papa Borgia e Lutero. Piero Gribandi Editore, Torino 1989.

Nenhum comentário:

Postar um comentário